Horários flexíveis: solução ou mamata?

Já pensou que horários flexíveis de trabalho podem afetar a sua vida e a vida da sua cidade? O Portal Canal RH realizou uma reportagem sobre como algumas empresas e funcionários lidam com esta flexibilidade.

“A Cochrane Collaboration (órgão internacional que revisa e analisa pesquisas na área da saúde) avaliou uma série de estudos sobre assunto e confirmou que a flexibilidade no trabalho está fortemente associada a alguns indicadores de saúde”, informa o neurologista Ricardo Afonso Teixeira. “E funcionário com saúde não dá prejuízo. Tem menos doença, falta menos. É isso é retorno para a empresa.” O médico explica ainda que as pesquisas apontaram para três pontos: a hipertensão, o equilíbrio psíquico e o sono. “Há vários olhares sobre o trabalho (com relação à saúde), e um deles é o respeito à individualidade e à vida pessoal, onde entra o fator de flexibilidade do horário de trabalho”, esclarece Teixeira, também diretor do Instituto do Cérebro de Brasília (ICB).
O que você acha disso?

Clique aqui e confira a reportagem completa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: